Apresentação

A atividade de observação de aves pelo homem remonta à Grécia antiga (Séc. IX a.C. e VIII a.C.), e ao longo dos anos foi se difundindo pelo mundo e teve seu desenvolvimento na Inglaterra no fim do século XVIII como lazer primordialmente aristocrático, a partir daí essa atividade foi ficando cada vez mais popular e difundida. No Brasil, esta prática pedagógica é pouco difundida, com iniciativas pontuais e isoladas, que partem quase que exclusivamente de biólogos e ornitólogos. Entretanto, a observação de aves pode ser utilizada como uma poderosa ferramenta didática para a educação, principalmente a ambiental, pois por possuir um caráter lúdico, prático, não conteudista, sensorial e experimental oferece um leque vasto de possibilidades para se trabalhar conteúdos e atitudes dos alunos a respeito da relação homem-natureza.

Além da motivação, de proteção das aves, existem outros pontos importantes que tem como base o uso das aves como ferramenta para educação ambiental, são eles: estímulo à capacidade de observação do aluno, promoção da experiência como processo educativo emancipatório, sensibilização do aluno com o meio-ambiente do entorno, desenvolvimento do conceito estético, reconhecimento da situação de coabitação do espaço com outros seres (que não apenas humanos) e a necessidade de preservação da qualidade ambiental para essa coexistência.

Autor

Professor Romilson Silva Lopes Júnior - Faculdades INTA

Ficha Técnica

Fotos: Voo da Caatinga

Autor: Prof. Romilson Silva Lopes Junior – Faculdades INTA

 Data das Fotos: Durante o ano de 2015

 Locais:

  • Sobral
  • Serra da Meruoca
  • Chapada da Ibiapaba
  • Maciço de Baturité

Equipamentos: Câmera Nikon D7100

Curadoria: Prof. Me. Regina Raick – Universidade Estadual Vale do Acaraú – UVA

Organização:

  • Anacléa de Araújo Bernardo – Pró-Diretoria de Inovação Pedagógica – INTA
  • Antonio Diego Dantas Cavalcante –  Pró-Diretoria de Inovação Pedagógica – INTA
Projetos relacionados