Autor

Fábio Solon Tajra

Fábio Solon Tajra tem formação autodidata incentivada por seu tio Chico Expedito que orientou e apresentou recursos materiais e técnicas de pintura em tela. Nasceu em Teresina, capital do Piauí, longe dos grandes centros urbanos do país. Desde a sua infância esteve em contato com a pintura, absorvendo personagens, encantados e encantadores. Guardados no inconsciente do artista, na hora de desenhar estes personagens se apresentam espontaneamente. É a forma que o artista escolheu e aceita para manter viva a sua imaginação, tratando de dar uma linguagem universal, sem perder as características regionais.

Iniciou a produção e divulgação de sua atividade artística em 2002, em Sobral, participando de sua primeira exposição (Mostra SAFRA). Esta experiência lhe rendeu bons resultados, além de valorizar seu trabalho que passou a ser difundido no meio de comunicação impresso e eletrônico.

Em 2009, realizou sua primeira exposição individual “12 anjos e muitas canções” na Casa de Cultura de Sobral e, neste mesmo ano, participou de exposição com outros artistas da região em um evento científico regional organizado pelo COSSEMS-CE.

Em 2010, desenvolveu exposição “12 contos e tantos encantos” junto ao Memorial da Educação Superior de Sobral (MESS) / Universidade Estadual Vale do Acaraú em homenagem à Moreira Campos, contista cearense bastante renomado.

Já em 2011, integrou-se ao Grupo de Artes Visuais Haja Vista e participou da exposição coletiva “João e o pé de feijão” na Escola de Ofícios e Artes do Ceará (ECOA/CE). Neste mesmo ano, buscou realizar sob a forma de exposição de artes plásticas uma pesquisa e apresentação das principais origens e culturas que se evidenciam no município de Sobral. Este projeto foi inserido dentro da proposta de trabalho da Universidade Estadual Vale do Acaraú – UVA, por meio do Centro de Ciências Humanas, do Laboratório das Memórias e das Práticas Cotidinas – Labome e da Organização Sócio-Estudantil de Serviços em Consultoria e Projetos de Pesquisa – OSESP, traduzido como III Visualidades. A proposta da exposição intitulada “12 Nações Sobralenses” contou com obras inéditas que retrataram a diversidade de pessoas e culturas que compõem a cidade de Sobral.

Neste mesmo evento cultural, apresentou, junto ao Grupo de Artes Visuais Haja Vista, a exposição coletiva “Provérbios Populares”. Esta exposição tratava dos principais ditados populares presentes na cultura local traduzidos em imagens de desenho em carvão, giz cera e pastel de óleo.

A criação de cada obra é fator de observação, planejamento e experiências com diversos pigmentos e cores. O próprio fazer e o resultado disso contribuem para a satisfação plena do ser artista. Concluído o trabalho, pode-se observar frente à obra a emoção e a harmonia traduzida em cores fortes e intensas. Isto resulta na alusão do próprio fazer artístico contemporâneo.

Atualmente, o artista vem se dedicando à Pesquisa em Artes Plásticas, além do desenvolvimento de intensas e contínuas atividades nos campos da Pintura, Desenho e Gravura. Tem estudado as distintas possibilidades, assumido uma nova etapa de formulação de seu trabalho.

Projetos relacionados