Apresentação do Curso

O Centro Universitário Inta (UNINTA) através do Conselho Deliberativo Superior (CODES) resolve criar o Curso Superior de Bacharelado em Agronomia na modalidade presencial por meio da resolução nº151/2019. O Curso de graduação em Agronomia do Centro Universitário INTA – UNINTA é um bacharelado, com duração de cinco anos, e oferece aos estudantes disciplinas básicas nas áreas das ciências exatas, biológicas e humanas como cálculo, estatística, física, química, bioquímica, genética, botânica, zoologia, fisiologia animal e vegetal; e profissionalizantes como produção de plantas alimentícias, energéticas, fibrosas e ornamentais, nutrição e adubação de plantas, manejo de pragas, produção de animais, biotecnologia, processamento de produtos agropecuários, meteorologia, máquinas e implementos agrícolas, irrigação e drenagem, topografia e geoprocessamento, construções rurais, economia e administração e gestão agropecuária, extensão rural, classificação e conservação do solo, ecologia e manejo ambiental de propriedades rurais.

A carga horária total do Curso em Engenharia Agronômica ou agronomia do Centro Universitário Inta (UNINTA) é de 3.945 horas, distribuídas em 10 semestres, com carga horária nas disciplinas teórico-práticas de 3.465 horas, Estágio Supervisionado de 240 horas e Atividades Complementares de 240 horas.

Conselho Profissional: Conselhos Regionais de Engenharia e Agronomia – CREA

Os Conselhos Regionais de Engenharia e Agronomia – os CREAs – são autarquias dotadas de personalidade jurídica de direito público, constituindo-se serviço público federal e com jurisdição nos limites de cada Estado brasileiro.

Todos estão vinculados a um Conselho Federal de Engenharia e Agronomia – o CONFEA – órgão sediado em Brasília (DF), o qual é sua instância superior e normativa.

A função básica dos CREAs é a fiscalização do exercício das profissões que lhes foram atribuídas por lei específica. Operacionalmente, isso é feito através de registros prévios (profissionais/empresas e anotações de responsabilidade técnica) e de fiscalização de atos ou empreendimentos, em visitas de agentes (no campo) ou por outros meios (diários oficiais, jornais).

O Profissional

O trabalho do engenheiro-agrônomo está presente em todas as fases da produção agrícola, desde o preparo do solo ao beneficiamento dos produtos colhidos. O profissional pode operar tanto com foco nas plantações – com o manejo de culturas, produção de sementes e mudas, tratamento de doenças de plantas, estudo de formas adequadas de eliminação de pragas – quanto na área animal, com a criação, o melhoramento de raças, a prevenção de doenças em rebanhos e reprodução. Há ainda outras áreas de atuação, como a de Defesa Sanitária (controle e inspeção de animais e vegetais); Economia e Administração Agroindustrial (administração das operações de distribuição e venda de produtos agrícolas); Engenharia Rural (projeto e acompanhamento da construção de obras em fazendas); Fitotecnia (estudo dos vegetais – cultivo, colheita, produtividade e industrialização); Indústria e Comercialização de Alimentos (supervisão da qualidade dos produtos de origem animal e vegetal); Manejo Ambiental (exploração racional dos recursos naturais); Produção Agroindustrial (gerenciamento da industrialização de produtos agrícolas); e Silvicultura (recuperação de matas devastadas e manejo de áreas de reflorestamento).

Áreas de Atuação

O agrônomo atua em todas as etapas da produção e comercialização dos produtos, acompanhando desde o plantio até o armazenamento e distribuição da mercadoria ou, no caso de animais, do controle de doenças, reprodução e abate. As principais áreas de atuação são:

  • Administração rural
  • Defesa sanitária
  • Economia e administração agroindustrial
  • Engenharia rural ou engenharia agrícola
  • Ensino
  • Fitotecnia
  • Indústria e venda de alimentos
  • Manejo ambiental
  • Melhoramento animal e vegetal
  • Produção agroindustrial
  • Silvicultura
  • Solo
  • Zootecnia

O Mercado

De acordo com a Confederação Agropecuária e Pecuária do Brasil (CNA), o agronegócio representa 23,5% do PIB brasileiro, quase um quarto de toda produção nacional, e as previsões é que este setor continue em crescimento.

No comércio internacional, o agronegócio também é destaque na economia nacional e representa em torno de 44,1% das exportações brasileiras. Atualmente, o Brasil é o terceiro maior exportador mundial de produtos agrícolas (atrás apenas da União Europeia e Estados Unidos).

Os números positivos evidenciam o aquecimento constante no setor do agronegócio no país, o que eleva a busca por profissionais, que se deparam com um mercado de trabalho bastante amplo devido a importância da agroindústria para a economia brasileira.

Por termos um território nacional tão extenso e o curso de agronomia formar profissionais multifacetados, o engenheiro agrônomo possui um vasto campo de atuação. Nas áreas rurais, ele poderá trabalhar na administração de propriedades e gerenciamento de todos os processos relacionados aos campos.

Já nas cidades, o agrônomo encontrará trabalho no ensino e pesquisa em universidades, no controle de qualidade de produtos na indústria agropecuária e órgãos de pesquisas privados e do governo. Além de poder atuar em empresas públicas, privadas, prestar serviços de consultoria e ser autônomo.

As melhores oportunidades estão relacionadas a exportação de commodities, que é forte das exportações brasileiras, portanto um bom campo de atuação é em empresas exportadoras e importadoras, na indústria de alimentos, sementes, adubos e equipes, em grandes propriedades rurais ou em órgãos do governo.

Um outro ponto a ser levado em consideração é o atual crescimento do mercado de produção de alimentos orgânicos, que ganha cada vez mais espaço entre a população. Essa prática exige agrônomos altamente capacitados, o que valoriza ainda mais a profissão.

Informações
Duração: 5 anos
Tipo de curso: Bacharelado
Modalidade: Presencial
Matriz curricular: Download
Monitorias: Vagas disponíveis

Coordenação do Curso